Esta turma costuma refletir bastante!

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Quantos anos vovô tem?



"Uma tarde, o neto conversava com seu avô sobre os acontecimentos e, de repente, perguntou:

- Quantos anos você tem, vovô?

E o avô respondeu:

- Bem, deixa-me pensar um pouco... Nasci antes da televisão, das vacinas contra a pólio, comidas congeladas, foto copiadoras, lentes de contato e pílula anticoncepcional. Não existiam radares, cartões de crédito, raio laser, nem patins on-line. Não se havia inventado ar-condicionado, lavadoras, nem secadoras. As roupas simplesmente secavam ao vento. O homem nem havia chegado à lua. "Gay" era uma palavra inglesa que significava uma pessoa divertida e alegre, não homossexual. Das lésbicas, nunca havíamos ouvido falar e rapazes não usavam piercings. Nasci antes do computador, duplas carreiras universitárias e terapias de grupo. Até completar 25 anos, chamava cada homem de "senhor" e cada mulher de "senhora" ou "senhorita"... Ensinaram-nos a diferenciar o bem do mal, a ser responsáveis pelos nossos atos. Acreditávamos que "comida rápida" era o que a gente comia quando estava com pressa. Ter um bom relacionamento, era dar-se bem com os primos e amigos. Tempo compartilhado significava que a família compartilhava férias juntos. Não se conhecia telefones sem fio e, muito menos, celulares. Nunca havíamos ouvido falar de música estereofônica, rádios FM, fitas K-7, CDs, DVDs, máquinas de escrever elétricas, calculadoras. Nem as mecânicas, quanto mais as portáteis. "Notebook" era um livreto de anotações. Aos relógios se dava corda a cada dia. Não existia nada digital, nem relógios, nem indicadores com números luminosos dos marcadores de jogos, nem as máquinas. Falando em máquinas, não existiam cafeteiras automáticas, micro-ondas, nem rádios-relógios-despertadores. Para não falar dos videocassetes ou das filmadoras de vídeo. As fotos não eram instantâneas e nem coloridas. Havia somente em preto e branco. A revelação demorava mais de três dias. As de cores não existiam e quando apareceram, sua revelação era muito cara e demorada. Se em algo lêssemos "Made in Japan", não se considerava de má qualidade e não existia "Made in Korea", nem "Made in Taiwan" e nem "Made in China". Não se havia ouvido falar de "Pizza Hut", "McDonald's", nem café instantâneo. Havia casas onde se comprava coisas por 5 e 10 centavos. Os sorvetes, as passagens de ônibus e os refrigerantes, tudo custava 10 centavos. No meu tempo, "erva" era algo que se cortava e não que se fumava. "Hardware" era uma ferramenta e "software" não existia. Fomos a última geração que acreditou que uma senhora precisava de um marido para ter um filho. Agora me diga, quantos anos acha que eu tenho?

- Hiii, vovô! ... mais de duzentos!!! Falou o neto.

- Não, querido. Somente 58!"

Esse texto, eu recebi por e-mail do meu amigo Prof. Marins. Postei no blog, para deixar registradas aqui, todas essas mudanças e invenções, as quais usamos naturalmente, como se elas já existissem desde sempre. Parece tudo tão comum, tão natural e tão antigo, mas não é. Tudo mudou em muito pouco tempo. A vida ficou bem mais fácil rapidamente. Converse com os seus pais, seus avós e seus bisavós. Pergunte como era no "tempo deles". Somos bem sortudos nesse aspecto, mas outras coisas vieram junto. Como tudo na vida, há o lado bom e o lado ruim. Dispomos de tanta tecnologia, mas ainda não aprendemos a viver em paz. Já não temos a liberdade e a despreocupação de andar pelas ruas a qualquer hora. E, entre tantas outras coisas, a classe política ainda não se conscientizou de que são os nossos representantes e não deles próprios. Mas é preciso ter fé de que as coisas irão melhorar! E refletir sempre antes de agir!!!

6 comentários:

Nara disse...

Sônia que graça de texto!

A gente perde mesmo a noção do tempo nessa rotina, tão acostumados com as coisas, tão escravos...

Beijo

José Ramón disse...

Sônia Silvino gracias por todos tus comentarios y visitas te deseo que el año 2010, sea para ti y tus visitantes un año lleno de salud, amor y éxitos. Saludos

Sônia Silvino disse...

Nara!
A gente se acostuma e, muits vezes, nem dá valor.
Bjkas!

Sônia Silvino disse...

José!!!
Obrigada pela tua atenção!
Bjkas!!!

Menina Misteriosa disse...

O texto passa uma mensagem muito importante... gostei!
E concordo: "Tudo muda em muito pouco tempo...", tudo acontece tão rapidamente que, às vezes, a gente nem percebe ou se dá conta...

SANDRA NABUCO disse...

Nooossa,adorei o texto!
Sou do tempo de algumas coisas aí,pois já tenho 48!
Sinto saudades,claro,mas precisamos acompanhar a evolução!
E passou tão rápido e nos adapatamos tão bem,não é mesmo?
Quando eu poderia imaginar,que estaria me comunicando com pessoas de vários lugares através de um computador?
Que iria conhecer e ver um amigo lá no Chile?
Tudo era mais simples,menos perigoso...

Valeu pelo comentário no meu "novo" blog!
Também gostei do novo visual!Rrsrs!
Beijinhos e tenha um lindo fim de semana!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores de reflexões:

Adolescência (1) Alberto Mantovani Abeche (1) Alexandre Garcia (1) Américo Canhoto (1) Amizade (4) Amor (1) Andrew Matthews (3) Aneli Belluzzo Simões (1) Ano Novo (2) Antônio Mesquita Galvão (1) Aparência (1) Arnaldo Jabor (6) Arthur da Távola (2) Artigos da revista Cláudia (1) Ary Fontoura (1) Autoria desconhecida (28) Bem-estar (4) Brasil (1) Brena Braz (1) Brian Dyson (1) Carla Rojas Braga (1) Carlos Drummond de Andrade (5) Carlos Reinaldo Mendes Ribeiro (1) Carnaval (1) Cecília Meireles (1) Cedidos por amigos (1) Charges (1) Charles Chaplin (5) Chico Buarque (2) Cinema (1) Civilidade (1) Clarice Lispector (5) Corrupção (1) Crônicas (2) Crueldade Humana(?) (1) Dalai Lama (1) Dalmir Sant'Anna (1) Daniel Bruno de Castro Reis (1) Danuza Leão (3) Datas especiais (14) David Coimbra (2) Dia da Criança (1) Dia das Mães (1) Dia do Amigo (1) Dia do Professor (1) Dia dos Pais (2) Dia Internacional da Mulher (1) Diovana Rodrigues (1) Dráuzio Varella (1) E-book do Prof. Marins (1) E-mails (1) Educação (1) Eleições (1) Evandro Amoretti (1) Fabiana Kaodoinski (1) Fabrício Carpinejar (7) Fátima Irene Pinto (1) Fernanda Mello (1) Fernando Pessoa (2) Flávio Gikovate (2) Flávio Tavares (1) Gabi Borin (1) Gilberto Stürmer (1) Halloween (1) Herbert Vianna (1) Herman Melville (1) Impunidade (1) Internet (1) Ivete Sangalo (1) Jornal Zero Hora (1) José Geraldo Martinez (1) José Ronaldo Piza (1) Kahlil Gibran (1) Kledir Ramil (1) L. F. Veríssimo (7) Laerte Russini (1) Léo Lolovitch (2) Letícia Thompson (24) Letra de música (5) Lilian Poesias (1) Lya Luft (4) Magistério (1) Maktub (4) Marcial Salaverry (1) Maria Helena Matarazzo (2) Mário Quintana (2) Martha Medeiros (32) Masaharu Taniguchi (1) Mau-humor (1) Menalton Braff (1) Mensagens (7) Meu aniversário (1) Meus blogs (4) Minha autoria (67) Miriam de Sales Oliveira (1) Motivação (2) Mulher (8) Natal (2) Oliveira Fidelis Filho (1) Oscar Wilde (1) Osho (3) Oswaldo Montenegro (1) Otimismo (1) Páscoa (3) Paulo Coelho (2) Paulo Roberto Gaefke (5) Paulo Sant'Ana (1) Pe. Fábio de Melo (1) Poemas (1) Política (1) Programa Fantástico (1) Promoções (1) Protesto (1) Recebidos por e-mail (10) Redação Momento Espírita (4) Reflexões (21) Reinaldo C. Moscatto (1) RH Andrade Gutierrez (1) Richard Bach (1) Rivalcir Liberato (5) Roberto Shinyashiki (4) Rosana Braga (2) Rosane de Oliveira (1) Rose Mori (1) Saúde (4) Selos (4) Sexo (3) Silvana Duboc (1) Tais Vinha (1) Textos Criativos (1) Textos Psicografados (1) Titãs (1) Tragédias (1) Vida real (5) Vídeo + texto de minha autoria (11) Vídeos (1) Vídeos feitos por mim (1) Vinícius de Moraes (1) Violência (1) Vitor Hugo (1) William Shakespeare (1) YouTube Vídeos (4)

Clique na imagem e...

Conheça meu blog divulgador!